MIA - Se��o em Portugu�s
Samora Moisés Machel
foto Samora Moisés Machel
1933-1986

 

Filho de agricultor Samora entrou na escola primária com nove anos, quando o governo colonial português entregou a «educação indígena» à Igreja Católica. Quando terminou a escola primária, o jovem de cerca de 18 anos quis continuar a estudar, mas os padres só lhe permitiam estudar teologia e Samora decidiu ir tentar a vida em Lourenço Marques, actual Maputo. Trabalhou no Hospital Miguel Bombarda (o principal hospital da cidade) e, em 1952, começou o curso de enfermagem. Neto de um guerreiro de Gungunhana, Samora Machel foi educado como nacionalista e, como estudante, foi sempre um «rebelde». Em 1963 decidiu deixar o país em virtude das perseguições políticas de que era vítima e juntou-se à FRELIMO na Tanzânia. Fêz treinamento militar na Argélia e em 1966 já chefiava o Departamento de Defesa da FRELIMO. Em 1967 criou o Destacamento Feminino (DF) para envolver as mulheres moçambicanas na luta de libertação. Em 1969 passa a integrar o triunvirato que dirigia a FRELIMO e em 1970 assume a Presidência da FRELIMO, organiza a guerrilha e, finalmente, com a independência de Moçambique em 1975 assumiu a Presidência da República.

Atualmente estão disponíveis em Português as seguintes obras:

1969 - fev Um Inimigo Implacável do Colonialismo e do Imperialismo
1970 - set Educar o Homem para Vencer a Guerra, Criar uma Sociedade Nova e Desenvolver a Pátria
1970 - dez Compreender a Nossa Tarefa - Notas de Estudo para os Instrutores
1971 Produzir é Aprender. Aprender para Produzir e Lutar Melhor
1971 No Trabalho Sanitário Materializemos o Princípio de que a Revolução Liberta o Povo
1972 - ago A Luta Armada Começou em Manica e Sofala
1973 - jan Pela Independência Imediata e Total de Moçambique
1973 - mar A Solidariedade é uma ajuda mútua entre as forças que combatem pelo mesmo objetivo
1973 - dez Tarefas das bases de apoio
1973 A Libertação da Mulher é uma Necessidade da Revolução, Garantia da sua Continuidade, Condição do seu Triunfo
1973 Impermeabilizemo-nos Contra as Manobras Subversivas Intensificando a Ofensiva Ideológica e Organizacional no Seio dos Combatentes e Massas
1974 - fev Carta ao padre Giuseppe Frizzi
1974 - abr Mensagem aos Militantes da FRELIMO e ao Povo Moçambicano por Ocasião do Golpe de Estado em Portugal
1974 - mai Não se Pergunta a um Escravo se Quer ser Livre
1974 - jul Caminhemos numa larga frente unitária para a independência nacional e a paz
1974 - jul «A FRELIMO é o Povo Moçambicano em Armas» Introdução de José A. Salvador à coletânea "A Luta Continua"
1974 - set Discurso por ocasião da assinatura do Acordo de Lusaca
1974 - set Mensagem ao Povo de Moçambique por ocasião da Tomada de Posse do Governo de Transição de Moçambique
1974 - dez O Povo é Capaz de Ultrapassar Qualquer Dificuldade
1974 Estabelecer o Poder Popular para Servir as Massas
1975 - abr A África Nada Tem a Dialogar com o Regime de Pretória
1975 - abr Carta ao Primeiro-Ministro do Governo Provisório de Portugal
1975 - mai Discurso Base Beira
1975 - mai Discurso no Centro Infantário Sector I (Base Beira)
1975 - mai Tres Poemas (escritos por ocasião da morte de Josina Machel)
1975 - jun Discurso por ocasião da posse como Presidente da República Popular de Moçambique
1975 - jun Discurso em Beira (áudio)
1975 - jul Transformar o Hospital Central num Hospital do Povo
1976 - jan A África é chamada a elevar a sua unidade para expulsar definitivamente o imperialismo
1976 - jan Ao contribuirmos para o MPLA reforçamos a nossa Independência
1976 - jan Autencidade Africana Deve Caracterizar-se pela Resistência ao Inimigo
1976 - jan Discurso ao Corpo Diplomático acreditado em Moçambique
1976 - jan Discurso na Abertura da XXVI Sessão Ordinária do Comité Coordenador para a Libertação de África - OUA
1976 - jan É tempo de que a voz da África se erga para condenar a invasão estrangeira de Angola
1976 - jan Lutamos pela unidade mas não aceitamos aliança com o inimigo
1976 - fev Discurso no Acto de Abertura da 8ª Sessão do Comité Central da FRELIMO
1976 - fev Ofensiva Política e Organizacional Generalizada na Frente da Produção
1976 - fev Organizar a Democracia no Seio da Cidade, Liquidar o Racismo e a Discriminação Social
1976 - mar Análise da Situação da Mulher
1976 - mar Análise da Situação Política em Conferência de Imprensa
1976 - mar Devemos Defender a Nossa Pátria Atacada, Devemos Apoiar o Combate Justo do Povo do Zimbabwe
1976 - mar Luta Revolucionária no Zimbabwe Permitirá Divórcio com o Capitalismo
1976 - mar Nossa Tarefa Actual é Apoiar a Luta do Zimbabwe
1976 - mar Quando se Ataca o Inimigo é para Destruí-lo
1976 - mar Queremos as Cidades Rurais que Sirvam o Povo
1976 - abr A Qualidade Primeira da Revolução é a Transformação Profunda da Sociedade
1976 - abr Definir o Inimigo da Mulher
1976 - abr A Mulher Moçambicana Deve Participar na Luta de Classes e na Produção
1976 - abr Conferência Concedida à Imprensa Internacional
1976 - abr Herói é Quem Dedica a Vida ao Serviço do Povo
1976 - abr Internacionalismo da Zâmbia a Todos Deve Inspirar e Estimular
1976 - mai A Classe Trabalhadora Deve Conquistar e Exercer o Poder na Frente da Ciência e da Cultura
1976 - mai A Independência só Existirá com a Libertação Económica
1976 - mai A Tarefa das FPLM é Defender os Explorados
1976 - mai Estabelecemos uma Estratégia de Ruptura com a Dominação Capitalista e Imperialista
1976 - mai Problema Ideológico é Fundamental no Desenvolvimento da Nossa Luta
1976 - mai Queremos Edificar Relação Exemplar Entre Moçambique e a União Soviética
1976 - mai Terminou o I Curso da Escola do Partido - Alocução aos Novos Quadros Formados
1976 - mai Vimos a Transformação e o Crescimento de um Povo
1976 - jun A Luta do Povo da Guiné-Bissau Enquadra-se no Combate à Opressão
1976 - jun Discurso na Inauguração da Sede Nacional da FRELIMO
1976 - jun Estamos a Destruir um Estado Concebido pelo Colonialismo
1976 - jun Extractos do Discurso na Cadeia Central de Machava
1976 - jun Luta Justa Conduzida pelo PAIC para a Vitória em Moçambique
1976 - jun Na Luta de Libertação Económica Temos que nos Apoiar Mutuamente
1976 - jun OUA Deve Ser Instrumento de Luta da África na Fase da Revolução
1976 - jun Redefinir Quais as Tarefas da OUA Face à Actual Situação em África
1976 - jul Dar ao nosso Turismo um Conteúdo de Classe
1976 - jul As Instalações que vos Entregamos são Instrumentos de Liberdade
1976 - jul O Povo Aceita o Convite de Smith: o Inimigo Pode Imitar Tudo Menos a Vida do Povo
1976 - ago A Unidade Nacional é a Nossa Força
1976 - ago Moçambique Opõe-se Sem Excepções a Qualquer Presença Bélica no Oceano Índico
1976 - set Entrevista a Wilfred Burchet
1976 - set O Combate no Zimbabwe Só Cessa Quando For Alcançada a Independência Total e Completa
1976 - out Produzir é um Acto de Militância
1976 - out Desmantelar Estruturas Coloniais e Criar Estruturas de Carácter Colectivo e Democrático para Colocar o Hospital ao Serviço do Povo
1976 - out Unir, Organizar e Disciplinar a Classe Operária Moçambicana
1976 - nov Nossa Tarefa é Construção do Socialismo
1976 - dez A Luta das Classes Trabalhadoras é para Derrubar a Burguesia
1976 - dez Sobre os Problemas, Função e Tarefas da Juventude Moçambicana
1976 - dez Juventude o Centro da Batalha
1977 - jun 25 de Junho: Dia de Festa, Dia de Alegria
1977 - set Fazer do País Inteiro uma Zona Libertada
1977 - set Vamos Eleger as Assembleias para Consolidar o Poder Popular e Melhorar a Nossa Vida
1977 - set A Esperança de Liberdade Tranformar-se-á pela Nossa Acção na Realidade de Justiça, de Bem Estar e de Paz
1977 - set Encontrámos Solidariedade
1978 Estruturar o Partido para Melhorar a Vida do Povo
1978 - jan As Causas Justas Suscitam Sempre o Apoio, a Simpatia e a Amizade da Humanidade
1978 - jan Só a Liberdade Conta porque só ela é Eterna
1978 - fev A Revolução é Irreversível
1978 - fev O Terreno Está Fértil, O Sucesso Depende de Nós
1978 - fev Queremos Fazer do Povo Dirigente Real do Nosso Estado Democrático Popular
1978 - fev Somos um País Não-Alinhado por Vontade do Nosso Povo
1978 - fev Tornar Irreversíveis Conquistas na Educação
1978 - mar Objectivos do Socialismo não são Coisas Abstratas: é mais Comida, mais Roupa, mais Casas, mais Escolas...
1978 - mar O que Caracteriza o Militante é a Determinação em Transformar o Mundo e, no Processo, Transformar-se
1978 - abr Nosso Administrador é para Servir o Povo
1978 - mai Reforçar a Vigilância, Ganhar Novas Forças, Salvar os Hesitantes e Desalojar os Infiltrados
1978 - mai Cada Fábrica Deverá Ser Produtora da Consciência de Classe do Trabalhador
1978 - mai Consolidemos Nossa Unidade para Ampliarmos Vitórias Alcançadas
1978 - mai Após Libertação Prosseguimos com Êxito a Criação de uma Nova Sociedade
1978 - mai A Situação Internacional é Altamente Favorável à Vitória da Luta dos Povos e Classes Oprimidas
1978 - jun Todos Juntos a Ceifar o Arroz! Não Há Lugar para Preguiçosos na República Popular de Moçambique
1978 - jul Sem Medo do Passado Podemos Avançar em Conjunto
1978 - jul A Alfabetização é uma Batalha para a Libertação e Desenvolvimento
1978 - jul Nesta Fase de Reconstrução Nacional Continuamos Juntos em Direcção ao Futuro
1978 - jul A Tarefa da OUA é Terminar a Batalha pela Libertação Política dos Povos de África
1978 - ago Os Antigos Presos Políticos e o Processo Revolucionário
1978 - ago Bandeira é Sinal de Vitória, É Preciso Consolidar Essa Vitória
1978 - ago Assumir a Necessidade de Maior Austeridade em Todos os Actos da Nossa Vida Diária
1978 - ago Em Todos os Lugares Nossos Deputados são Responsáveis pela Mobilização do Povo
1978 - ago IV Sessão do CC Foi um Passo em Frente no Reforço do Carácter de Classe do Partido
1978 - ago Saibamos em Conjunto Responder à Confrontação com os Bastiões do Imperialismo em África
1978 - ago As Pressões Políticas, Económicas e Militares Não São Obstáculos à Nossa Determinação
1978 - set O Objectivo do Imperialismo Era Dividir-nos
1978 - set A Estratégica Dupla do Imperialismo no Zimbabwe
1978 - set Une-nos a Plataforma Fundamental do Internacionalismo Proletário
1978 - set FPLM Trazem ao Povo a Certeza da Vitória
1978 - out Dominar a Ciência e a Arte Militares para Defender as Conquistas da Revolução
1978 - out As Vitórias do Hospital Central são Exemplo para Todo o País
1978 - out A Favor dos Povos do Mundo as Vitórias do Socialismo Tornaram Irreversível o Sentido da Alteração da Correlação de Forças
1978 - nov O Povo Foi o Factor Decisivo do Grande Sucesso da Campanha
1978 - dez Romper com a Cultura Burguesa e Feudal, Impor os Valores Culturais do Povo
1978 - dez Sejamos Como Estas Camaradas e a Emancipação da Mulher Triunfará
1978 - dez Queremos que Vocês se Sintam Moçambicanos e Vivam Organizados em Comunidade
1979 - fev Organizar as Cidades e Bairros Comunais é Consolidar o Poder Popular
1979 - mai Fazer Viver a Linha do Partido em cada Trabalhador
1979 - jul Organizemos Nossos Recursos para Resolver os Problemas do Povo
1979 - ago Façamos de 1980-1990 a Década da Vitória Sobre o Subdesenvolvimento
1979 - set Unidade Anti-Imperialista é a Base do Não-Alinhamento
1979 - set Colher no 25 de Setembro Força Renovada para o Combate
1979 - out Fazer do Niassa uma Base Sólida na Construção do Socialismo
1979 - dez Reforçemos o Poder Popular nos Nossos Hospitais
1979 - dez A Vitória do Povo do Zimbabwe é Fruto da Luta Armada, da Unidade e do Internacionalismo
1980 - jan Fazer da Beira Ponto de Partida para uma Ofensiva Organizacional
1980 - fev Transformar o Aparelho de Estado no Instrumento da Vitória
1980 - mar Desalojemos o Inimigo Interno do Nosso Aparelho de Estado
1980 - mar Na Educação só Investiremos em Terreno Fértil
1980 - out Quando Somos Fracos o Inimigo Violenta-nos
1981 - fev Um Inimigo Implacável do Colonialismo e do Imperialismo
1981 - abr As Forças Armadas de Moçambique Devem Participar da Batalha Económica
1981 - nov As Tarefas Fundamentais das Forças de Defesa e Segurança na Nossa Pátria
1981 - nov Desalojemos os Infiltrados nas Forças de Defesa e Segurança
1981 - nov Garantir a Paz, Tranquilidade e Segurança
1982 - mai Descolonização mental: Nosso actual problema
1982 - mai A Honra que deve ser Restituída
1982 - mai Aprender e ganhar a dignidade de patriota
1982 - jun Assumir o passado para o liquidar
1982 - jun Confiantes e Unidos Construamos o Futuro
1982 - jun Rompamos Definitivamente com a Burguesia para Consolidar o Poder Popular
1982 Organizar a Sociedade para Vencer o Subdesenvolvimento
1983 - out Sindicatos Organizarão os Trabalhadores para Matar a Fome e a Nudez
1984 - abr Acordo de Nkomati: Vitória da Paz, Vitória do Socialismo
1984 - abr Pela Independência, Dignidade e Paz
1984 - mai O Poder Popular Garante a Legalidade
1985 - ago O teu nome viverá na memória dos Povos
1984 - dez Façamos de 1985 um ano de Consolidação da Independência
1984 - dez Venceremos Também Hoje o Inimigo de Sempre
1985 - jan Confiantes de que problemas do mundo serão encarados com realismo
1985 - fev Contibuto para criação da nova ordem económica
1985 - fev Exemplo de relação Norte-Sul sem intuitos neocoloniais
1985 - fev Exemplo típico de cooperação Sul-Sul
1985 - mai Uma Revolução que não se sabe defender morre de hemorragia
1985 - jun A nossa batalha desenvolve-se nas condições de uma economia de guerra
1985 - jun Celebremos a certeza da vitória
1985 - jun Ngungunyane viveu e morreu como grande herói do Povo
1985 - out Que se sintam crianças em toda acepção da palavra
1985 - dez Nossa Riqueza está na Recusa à Fatalidade
1985 - dez Problemas do Povo Exigem de Nós Melhores Soluções
1986 - jan 1986: Ano da Generalização da Ofensiva em Todas as Frentes
1986 - jan A Base do Terrorismo é a África do Sul
1986 - set "Apartheid" como o Colonialismo deve ser erradicado
???? A Luta Continua
???? Educar o Homem para Vencer a Guerra, Criar uma Sociedade Nova e Desenvolver a Pátria
???? Fazer da Escola uma Base para o Povo Tomar o Poder
???? O Apartheid é o Nazismo da Nossa Época
???? O Processo da Revolução Democrática Popular em Moçambique
   
Seja um Voluntário! Se você deseja colaborar com a construção desta biblioteca, ou deseja iniciar uma nova biblioteca para um autor cujo trabalho contribui de alguma maneira para a compreensão do Marxismo, entre em contato conosco.

Abriu o arquivo: 09/09/2011
Última atualização: 24/07/2020