Cinema e Revolução
A Lei da Terra
"O processo da reforma agrária no Alentejo é visto através de uma análise das estrutura sociais e da luta de classes, culminando com a ocupação de terras pelos camponeses e pela tentativa de criação de novas relações laborais e de propriedade. Face à sabotagem económica dos patrões e antigos proprietários, os trabalhadores organizam-se em sindicatos, reclamam emprego e salários justos. Procuram estabelecer uma lei revolucionária: «A terra a quem a trabalha!». Organizam-se em cooperativas e unidades colectivas de produção. Reagem os agrários expropriados, apoiando-se nos intermediários, nos agricultores do Norte e nos seareiros do Sul." (fonte: 420Doc)
capa

Direção: Alberto Seixas Santos e Solveig Nordlund

Para voluntariado, perguntas, comentários ou sugestões, entre em contato com o administrador da Seção em Português.
MIA Logo