O PCB-PPS e a Cultura Brasileira: Apontamentos

Ivan Alves Filho

2012


Primeira Edição: Fundação Astrojildo Pereira, Brasília, 2012 — www.fundacaoastrojildo.org.br

Fonte: pdf gentilmente enviado pelo autor

Transcrição e HTML: Fernando Araújo.


“As inteligências sempre estão ligadas por fios invisíveis ao corpo do povo” .
Karl Marx, em carta escrita em 1871

“Aconteceu com demasiada frequência que, quando a História faz uma viragem brusca, até os partidos avançados não podem durante um tempo mais ou menos longo habituar-se à nova situação, repetem palavras de ordem que ontem eram corretas, mas hoje perderam todo o sentido, perderam o sentido tão ”subitamente” como “súbita” foi a brusca viragem da História”.
Vladimir Lênin, às vésperas da Revolução de 1917

“Poder-se-ia adotar o seguinte lema para a reorganização do mundo de após-guerra: a democracia política por princípio e a democracia econômica por base; a democracia cultural por fim”.
Astrojildo Pereira, ao definir as tarefas da inteligência brasileira, em 1945

“O PCB não se tornou o maior partido do Ocidente, nem mesmo do Brasil. Mas quem contar a história de nosso povo e seus heróis tem que falar dele. Ou estará mentindo”.
Ferreira Gullar, na passagem dos 60 anos do PCB

Dedicamos este trabalho aos intelectuais, artistas e escritores que deram o melhor de seus esforços à construção de uma cultura identificada com aquilo que o povo brasileiro tem de melhor, ou seja, a sua criatividade e alegria.
E aos casais Zirlanda Mello e Severino Teodoro de Mello; Tereza Vitale e Francisco Inácio de Almeida;
Geralda Nunes e Paulo Elisiário Nunes; Zelda Tôrres e Sérgio Augusto de Moraes — que simbolizam, aos meus olhos, aquilo que o Partido tem de melhor.

capa
Baixe o arquivo em pdf

Índice

Apresentação

I

II

III

IV

V

VI

VII

Sobre o autor


Inclusão 16/08/2019